Edifícios inteligentes: tecnologia a favor da inovação na construção civil

Os Smart Buildings, cada dia mais presentes nas metrópoles através dos nossos processos de urbanização acelerada, são uma alternativa sustentável somada com os esforços da área de TI. Ou seja, os Edifícios Inteligentes, traduzindo para o português, são sistemas automatizados e como o próprio nome diz, inteligentes. Estruturados para oferecer máxima tecnologia pautada em um estilo de vida sustentável e saudável.

Edifícios inteligentes: qual a importância para quem compra e para quem está ao redor?

Os edifícios inteligentes têm sua filosofia pautada em um pilar de economia. Tanto de recursos para sua construção e manutenção, bem como para a economia em termos de custos para quem pretende se ambientar ali.

A estrutura desses edifícios pode ser pautada na soma de tecnologia e sustentabilidade para gerar os pilares de maior economia e também maior qualidade de vida.

A parte digital, direcionada a área de TI, se concentra em sistemas inteligentes e automatizados, medidas de eficiência energética, tecnologia sem fio, estrutura digital e aparelhos em rede.

Além de movimentar o segmento de construção civil, o segmento é responsável pela inserção e profissionalização de inúmeros profissionais. Visto a crescente demanda por essa estruturação.

O cargo da tecnologia nos smart buildings

Para serem denominadas inteligentes, as edificações precisam atender com excelência algumas demandas importantes para as filosofias de economia e qualidade de vida. A exemplo de climatização, iluminação e ventilação.

Por meio da Internet das Coisas e dados armazenados e geridos via Computação em Nuvem, a automatização desses edifícios conta com câmeras, sensores, servidores e outros elementos tecnológicos para além de garantir segurança, gerar funcionalidade para o ambiente. Inclusive, aumentando a produtividade do que é produzido ali. Dados que os processos são automatizados e acelerados.

O cargo da sustentabilidade

Para além da tecnologia e com a premissa de promover conforto e gerar mais qualidade de vida, os edifícios inteligentes também se pautam na sustentabilidade. Como dito anteriormente, a redução do uso de climatizadores para além disso, o uso de produtos isotérmicos na estruturação da obra, são fatores que contribuem para uma obra limpa e sustentável.

Em suma, os edifícios inteligentes são uma soma de design, proposta e nicho de mercado. São a inovação do mercado alinhada aos valores que a sociedade vem exigindo. Sobretudo, por posturas mais sustentáveis sem deixar de entregar qualidade de vida, conforto e estética.

 

Categorias

maio 2020
S T Q Q S S D
« abr    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031